convite

comecei a convidar certas pessoas que tenho certeza de sua competência poética e lírica. mas, na verdade, ainda tenho minhas dúvidas se isso consegue ir pra frente. precisaria eu de alguém muito competente, que me fizesse nao desistir de vez de me lançar nesse mundao vei de meu deus que é a literatura de blog. essa blogosfera é muito vasta e tem muito autor excelente que ninguém dá atençao. entao, no fim da contas, eu entendo que eu sou mais uma dessas pessoas que vive de sonhos e nada mais. talvez ilusoes. talvez. coisa demais pra quem nao tem onde cair morto, né?

eu pensei muito em te ligar de outro número e me passar por outra pessoa talvez mais promissoramente capaz de te trazer pra mim, sei lá. talvez alguém menos transtornada, menos chata, menos esnobe, menos lasciva, menos eu. seria eu ainda? nao seria. seria alguém perfeito pra você. nao seria eu. essa nao sou eu. chega né. vá viver sua vida. a minha? ah, a minha vai indo muito bem, obrigada.

talvez ele tenha mesmo que ir pra alemanha. se livrar desse país de último mundo onde infelizmente calhou de encarnar. ele nao sabe, mas apesar de tudo ele ainda vai se arrepender de ter falado demais assim como eu. parece que só pelo fato de nao ser obrigado a tomar medicamentos controlados ele soa ser mais sensato do que eu. quando na verdade nao é. se fosse mesmo, pensaria bem no que tá fazendo. isso. vá pra alemanha. vá se congelar na falta de calor humano que você tanto prezava aqui no brasileiro.

talvez ele nao queira ser pai. ou talvez sim. talvez, sei lá, eu nao seja mesmo a pessoa certa pra ele. talvez a outra lá que acha que eu quero matá-la seja. ou fosse. porque acabou. e no fim, nao lhe restou muita coisa. uma ex que fica com um amigo seu. uma peguete/ficante eventual que acaba engravidando de você e aí nao se sabe mais como agir frente a tudo isso. e talvez bebidas e cigarros sejam os melhores conselheiros para você nesse momento tao complicado da sua vida. que, você até prefere encarar como uma barra pesada. ter um filho é uma barra pesada né. muito difícil de carregar. mas tem que carregar. ou eu me encarrego de te ensinar a ser gente. vai ser muito, mas muito doloroso.

acreditem em tudo o que digo. ou fechem essas palavras logo e vao viver a vida de vocês.

saldo: nenhum.

eu aqui. eles de lá. saldo? nao tem saldo. nao tem nem o que somar. nem o que diminuir. sao pesos mortos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s